<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://dc.ads.linkedin.com/collect/?pid=332593&amp;fmt=gif">

7 dicas para começar a trabalhar na internet com seu negócio

Renan Andrade

trabalhar na internet

Trabalhar em casa (home office) quase que diário, ser seu próprio chefe, ganhar dinheiro com produção de conteúdo e, ainda, correr o risco de viralizar e ganhar uma certa fama/presença on-line parece o mundo perfeito, não parece? Viver e trabalhar na internet têm sido o sonho de muitas pessoas.

O que você vai ver neste post? 
  • Breve panorama do cenário atual das redes sociais;
  • Ter uma estratégia digital não é tão simples quanto parece;
  • Como começar um negócio na internet;
  • Dicas para estruturar seu negócio on-line do jeito certo. 

Vivemos na era dos "influencers" e muitos acabam se deixando levar por uma vida em que parece fácil ter um negócio on-line ou, simplesmente, ganhar a vida fazendo publi post para grandes marcas, não é verdade? 

Mas nem tudo é tão simples quanto parece! Ganhar dinheiro na internet produzindo conteúdo como influencer, loja virtual, cursos online ou, simplesmente, colocando o seu negócio on-line para ganhar visibilidade não é tão simples assim. 

De fato, a internet é um oceano azul de possibilidades. Uma boa estratégia de Inbound Marketing atrelada às fases do funil de vendas pode ser o "game changer" para tirar o seu negócio do ponto A e ir até o ponto B mais rápido do que trabalhando apenas as mídias offline. Isso é inegável! Não estar posicionado na internet nos dias de hoje é, literalmente, "perder dinheiro". 

Outro ponto que chama a atenção quando pensamos em começar essa jornada de abrir um negócio é que a internet é o meio mais fácil para fazer isso. Muitas vezes, conseguir uma licença ou autorização para estar fisicamente em um lugar acaba sendo demorado, caro e difícil. Nesse cenário, o meio digital acaba sendo mais prático e rápido.

Mas não se engane! Essa "facilidade" em entrar no mundo digital não significa que seja assim tão fácil se manter nesse meio e obter resultados. Não se trata de, simplesmente, colocar um post no Instagram ou em qualquer outra rede social de forma desordenada, sem estratégia alguma (esse é um erro muito comum em diversas empresas de pequeno porte, principalmente).  

Independentemente do tamanho do seu negócio, estar na internet requer conhecimento, prática, investimento (de tempo, de dinheiro e de estudo) e análise de KPI's como qualquer outro tipo de negócio! 

Para obter resultado com o Marketing Digital, é necessário ter estratégia, desde o momento em que se decide abrir um negócio até o momento em que se começa o trabalho, de fato (e enquanto sua empresa viver). 

E para ajudar você nessa empreitada de começar um negócio on-line, resolvemos trazer algumas dicas super importantes que vão te ajudar a começar um projeto do jeito certo! Vamos lá?

1. Defina o seu tipo de negócio 

Como diz a música (que estava há poucos dias nas trends do Reels) "First things first" - seria algo do tipo "primeiro as coisas mais importantes". 

Se você quer iniciar um projeto, é preciso definir o quê. Nossa sugestão é que você faça um mapeamento das suas áreas de interesse, coisas que você gosta, que se imagina fazendo e nas quais você tem o capital inicial para investir (seja ele baixo ou alto). 

Essa etapa é fundamental, sabe por quê? Durante um bom tempo, o seu negócio vai depender diretamente de você, do seu tempo, do seu investimento e das suas ações.

É importante que você goste de fazer aquilo. Pensar apenas no lucro pode não te dar o direcionamento correto e, com o passar do tempo, talvez, você desanime. 

Esse desânimo é, aliás, uma das coisas que levam muitas pessoas a querer abandonar a CLT e trabalhar com um negócio próprio. Trabalhar apenas para receber o dinheiro no final do mês faz com que muitos sintam que estão "trabalhando por trabalhar", que estão distantes do seu propósito de vida. 

É cada vez mais difícil encontrar pessoas que consigam trabalhar com o que amam, então, já fica a dica: se for começar um negócio próprio, tente sair da caixinha, ir contra a estatística e escolher algo que você realmente goste, ok?

2. Leve o seu negócio a sério

Depois de escolher com o que você deseja trabalhar, a primeira coisa que você precisa entender é: leve o seu negócio a sério. 

Muitos acham que por terem um CNPJ MEI ou CNPJ de empresas menores não precisam investir tanto ou que só devem começar a pensar em determinadas estratégias, como gestão da experiência do cliente e, até mesmo, processos que impactam diretamente a captação de novos leads (como e-mail marketing), quando a empresa for maior. Mas isso não é uma verdade. 

Você deve levar o seu negócio a sério desde o primeiro dia em que você entende o que quer fazer. 

3. Avalie o capital que você precisará investir 

Quando falamos em investimento de capital, estamos falando em tudo:

  • Investimento em matéria-prima para começar o negócio;
  • Investimento em identidade visual e papelaria para personalizar seus produtos (naming, logotipo, cores, tipografia, cartões, assinatura de e-mail…);
  • Marketing: site, redes sociais, fotografia, filmagem de produtos, e-mail marketing etc.;
  • Stakeholders (quem serão, qual o impacto deles no seu negócio, quanto dinheiro será necessário…);
  • Você já terá pessoas trabalhando contigo? Quantas? Qual será o salário e os benefícios?;
  • Parte contábil: qual é o tipo de CNPJ? Quais as taxas envolvidas na emissão de NF?

Ter um negócio na internet pode ser mais barato do que você imagina, mas não é por isso que você não deve planejar os seus passos nessa jornada. Então, é bem importante que você comece do jeito certo e que já consiga incluir, nesse planejamento financeiro, o seu investimento com o marketing digital. 

4. Estude o seu mercado e o seu público 

Essa etapa é de suma importância. Para definir uma boa estratégia de Marketing no digital, é importante entender com quem você vai falar, se existe público para o seu negócio e definir o seu nicho. 

Não adianta ter uma ideia e só você considerá-la incrível. Um negócio precisa de lucro para sobreviver! 

Esse mapeamento mercadológico irá permitir que você entenda se realmente existe um público interessado para o seu negócio, o perfil de cliente ideal que compõe esse público interessado (subsídio para criar a sua persona), o seu nicho e, consequentemente, que você consiga fazer uma gestão de relacionamento estratégica com o seu cliente. 

Veja também:

Baixe agora o ebook sobre "HubSpot: manual das principais funcionalidades da plataforma"

5. Defina sua estratégia de marketing

Esse passo é tão importante como todos os outros. Divulgar um produto da maneira correta é uma das chaves para o sucesso. 

Quando falamos em ter uma boa estratégia de marketing, estamos falando em divulgação, ou seja: estratégia de captação de novos clientes. 

Mas não é só isso, dentro do marketing, nós também englobamos as estratégias de retenção de clientes (ações pós-compra), que são as ações que você deve criar para ter um relacionamento com o cliente. 

Nessa etapa, é importante saber mostrar quem você é, as qualidades do seu produto/serviço, os seus diferenciais, aquelas coisas que te diferenciam da concorrência, sabe? Conseguir colocar em ações o valor do seu produto para o público certo é essencial para obter resultados. 

Dentro do marketing, existem algumas coisas que você pode escolher usar na sua estratégia on e off: 

  • Redes sociais – Instagram, Facebook, LinkedIn, Tik Tok, YouTube, Pinterest etc.;
  • Site de e-commerce ou Institucional;
  • Blogs;
  • Landing pages de produto;
  • Régua de e-mail marketing;
  • Mensagens personalizadas de WhatsApp e SMS (talvez, você queira usar o Telegram também);
  • Investir em anúncios pagos no Google Ads e/ou no Facebook Ads;
  • Contratar influenciadores digitais para divulgar o seu produto;
  • Fazer eventos on-line ou presenciais para divulgação;
  • Parcerias com outras marcas que atendam ao seu nicho;
  • Mídia Off (panfletos, cartões de visita, etc.);
  • Outros. 

Você pode, até mesmo, contratar uma agência especializada para te ajudar a escolher as melhores estratégias de acordo com o seu público e objetivos. 

Para descobrir o que você precisa fazer e onde você precisa estar, analise bastante os dados que você coletou no item 4. E por que isso é tão importante? Simples: se a sua persona tem 17 anos, a linguagem e a estratégia de marketing que você deve usar para atingi-la são bem diferentes das estratégias para falar com uma pessoa de 50 anos. Concorda?

Isso nos leva ao próximo passo!

6. Escolha as plataformas que você irá utilizar

Resolvemos colocar um item só para as Redes Sociais, porque, atualmente, elas são o "suprassumo" do marketing digital. Elas não trabalham sozinhas, tampouco vão promover resultados se você não usá-las estrategicamente, sendo um canal de comunicação-chave para colocar o seu negócio no digital. 

Cada rede social tem um propósito diferente e conexões diferentes, aqui vai um breve resumo do foco de algumas redes sociais para te direcionar melhor:

YouTube:

Uma das plataformas online que mais têm se perpetuado com o passar dos anos, o YouTube tende a conectar você com públicos bem distintos. O impacto que a plataforma tem é gigantesco. Em 2021, foram mais de 5 trilhões de visualizações no YT shorts e 40% dos canais ativos passaram a ter um faturamento equivalente a US$ 10 mil por ano. Na era da influência, a plataforma tem investido fortemente em produtores de conteúdo, mas o espaço para infoprodutores também é grande com o YouTube Edu.

Vídeos curtos ou vídeos longos, não importa! Desde que você tenha uma boa câmera e uma boa acústica para fazer um vídeo claro, limpo e de qualidade e que use títulos e descrições estratégicas com uma boa copy na hora de postar, vale a pena investir.

Uma coisa bem bacana sobre a plataforma é que você também pode mesclar o tamanho dos seus vídeos entre curtos e longos, visto que o YT também é uma plataforma de pessoas que buscam aprender mais, ou seja, que estão dispostas a  assistir aos vídeos mais longos. 

Instagram:

Com mais de 1 bilhão de usuários ativos (e crescendo), o Instagram começou como uma plataforma de imagens há alguns anos; atualmente, ele tem imagens, vídeos, reels, stories, destaques, DM e diversas outras funcionalidades que podem ajudar você a se aproximar ainda mais do seu cliente. 

Um dado que deve ficar guardado na sua mente: o Brasil é o 2º país do mundo em número de usuários da plataforma, atrás apenas dos EUA, interessante, não? 

Recentemente, a Opinion Box, empresa de pesquisa de mercado, realizou um estudo sobre o Instagram e trouxe um resultado expressivo sobre o aumento da popularidade da ferramenta, havendo, segundo ele, um crescimento de 84% para 92% do percentual de usuários que entram na ferramenta ao menos uma vez ao dia. Além disso, 80% do público entrevistado acreditam que o Instagram aproxima as pessoas das empresas. 

Tudo isso acontece porque a ferramenta tem uma possibilidade de interação muito grande com o público por meio de comentários, likes, reações, compartilhamentos e mensagens via direct. E aqui está o ponto: não adianta ter a página, mas não estar ativo nesses canais de comunicação! E isso serve para qualquer outra rede social. 

Facebook:

Antecessor do Instagram, o Facebook faturou 29,01 bilhões no último trimestre de 2021. Muita gente acredita que o Facebook "morreu", mas cá entre nós: uma rede social morta não teria esse faturamento, né? Pois bem, ao redor do mundo, são mais de 2.91 bilhões de usuários ativos, cerca de 60% das pessoas que usam a internet estão conectadas na ferramenta. Ou seja, existe, ainda, um grande potencial a ser trabalhado: grupos de vendas, comunidades, páginas de serviço. Basta entender se o seu público está nele, de fato. 

LinkedIn:

Com foco em empresas, o IN é uma rede de negócios. É uma rede social, mas não é aquele tipo de rede social que você tem que postar o seu passo a passo diário e nem o "look do dia". Trata-se de uma rede para conteúdo profissional, de busca por profissionais e coisas desse tipo. Nela, você pode compartilhar notícias do mundo dos negócios, prospectar pessoas potenciais para comprar o seu produto/serviço, gerar conteúdo relevante e, até, escrever pequenos artigos para compartilhamento. 

Tik Tok: 

A "novidade" fica por conta do Tik Tok; essa rede social relativamente nova tem virado febre por suas dancinhas e forma irreverente que as marcas têm utilizado para trazer conteúdo. É uma rede considerada jovem, mas para você ter uma ideia, em 2021, ela já possuía 1 bilhão de usuários ao redor do mundo. O Brasil é o segundo país do mundo que mais utiliza a plataforma, são mais de 4,72 milhões de usuários ativos (2021).  

O desafio de utilizar o Tik Tok, está em conseguir transformar o conteúdo em algo relevante, divertido e que transmita a mensagem correta, afinal, nem todo tipo de produto combina com dancinhas, certo? Mas não é por isso que você não deve estar na rede; você deve, sim, mas utilizando-a de forma correta.  

7. Escolha onde você deve estar e coloque a mão na massa!


Para terminar a nossa lista, é hora de escolher as redes em que você quer estar e atrelar cada uma delas a sua estratégia de Inbound Marketing. 

Dentro da sua estratégia de inbound, é importante já ter em mente as estratégias, como e-mail marketing (que falamos ali em cima). Uma sugestão que damos aqui é usar um CRM como a HubSpot para ajudar no total controle do resultado das estratégias e campanhas on-line que você irá fazer. 

Esse CRM irá te ajudar a subir campanhas, analisar os KPIs e definir estratégias com base nos dados de comportamento dos seus leads e clientes, e esses dados fornecidos pela plataforma também permitirão que você trabalhe de forma preditiva. 

E se o seu negócio for pequeno, não se preocupe, também é possível usar a versão free da plataforma, e os recursos são incríveis. 

Como já falamos, é preciso utilizar os recursos com sabedoria e estratégia, aliás, independentemente do tamanho do seu negócio, você pode usar, desde o começo, a inteligência a seu favor, sabia? 

Se você tiver interesse em saber mais sobre isso, confira este post do nosso blog: 4 curiosidades sobre ciclo do CRM e inteligência artificial. Certamente, ele irá ajudar você a aprender mais para começar a trabalhar na internet com mais assertividade! 

4 curiosidades sobre ciclo do  CRM e inteligência artificial

  
CONHEÇA A NOSSA BIBLIOTECA DE CONTEÚDOS
 
CTA-PEÇAS-BIBLIOTECA-DE-CONTEÚDO_Vertical

Assine para receber os melhores conteúdos sobre marketing educacional!

Mais Posts

Saiba mais sobre nós

Tecnologias que usamos

O mundo muda o tempo todo e com a tecnologia não é diferente! Aqui na Mkt4Edu, tecnologia está no nosso DNA, trabalhamos com diversos softwares diferentes para fazer todo o processo de automação e inteligência artificial funcionar com mais eficiência e alcançar mais resultados.

Aqui, novos softwares são testados o tempo todo. Ferramentas modernas e novas funcionalidades são testadas a todo momento, já foram mais de 200 testes para que você possa ter o melhor resultado na sua instituição.

Biblioteca de Conteúdos

EBOOK-MOCKUP-SEM-SOMBRA_Hubspot-Manual-das-principais-funcionalidades-da-plataforma
HubSpot: manual das principais funcionalidades da plataforma
 
Entenda como uma das ferramentas mais conhecidas no mundo e autodenominada "poderosa, mas não opressora" pode te ajudar a otimizar tempo com atividades manuais e fazer com que o seu time preste atenção naquilo que realmente importa: o cliente.
EBOOK-MOCKUP-SEM-SOMBRA_Inteligência-Artificial
Inteligência Artificial: A transformação do Marketing Digital na educação
 
Veja como a tecnologia impacta diretamente nas estratégias e resultados do Marketing Digital!
EBOOK-MOCKUP-SEM-SOMBRA_Branding-Educacional - como-construir-uma-marca-de-valor
Branding educacional: como construir uma marca de valor?
 
Não perca mais tempo dentro da sua instituição de ensino e saiba como apresentar seus diferenciais para construir uma marca de valor no mercado educacional.

Se ainda precisa de mais informações, deixe o seu contato que um de nossos Consultores fará contato com você!